Orixás regentes de 2018





Conheça o Orixá Xangô




Significado: aquele que se destaca pela força
Dia da semana: Quarta-feira
Cores: vermelho (ativo), branco (paz), marrom (a terra)
Saudação: Kaô Kabiesilê; venham ver nascer sobre o chão
Elemento: terra (pedras)
Domínio: rochas que o raio quebra
Instrumento: oxé (machado de pedra de lâmina dupla)


Xangô é o orixá cujo domínio está nas rochas, principalmente as que foram destruídas pelos raios. Na África é chamado Jacuta, ou seja, "o lançador de pedras".
Ele reinava soberano na cidade de Oyó, decidindo-se transferir para Kossô, onde não foi aceito por seu caráter violento e autoritário.
Decidiu retornar à Oyó, onde reinava Dadá, seu irmão mais velho, que foi destronado, permanecendo exilado em Igbono durante sete anos.
O símbolo de Xangô é o oxé, um machado de duas lâminas que seus filhos, quando estão em transe, levam na mão.
O orixá é viril, atrevido e extremamente justiceiro.
Tem Iemanjá como mãe e três divindades como esposas: Iansã, Oxum e Obá.
Iansã era a esposa de Ogum, mas encantou-se por Xangô. Oxum vivia com Oxossi e também foi seduzida por este orixá, que usava argolas de ouro nas orelhas, uma longa trança e uma roupa repleta de búzios os quais eram na época, a moeda corrente. Obá, apesar de ser uma deusa mais velha, também foi esposa de Xangô.
Na Nigéria, as festas consagradas à Xangô são um espetáculo a parte. O elegum do orixá em transe, vai ao mercado central para ser admirado e também aos lugares que, quando era vivo, visitou antes de se tornar um orixá após a sua morte.
O elegum do deus da justiça só evita visitar o palácio onde, segundo certas lendas, Xangô teria se enforcado em uma árvore de obi - por isso sua aversão à morte e aos eguns (mortos).

Sua importância no Brasil é tamanha que chegou a originar cultos específicos em Pernambuco e em outros estados do Nordeste.

Oração para Xangô: Proteção

Senhor meu Pai, o infinito é tua grande morada no espaço, teu ponto de energia é nas pedras das cachoeiras. Com tua justiça fizeste uma construção digna de rei. Meu Pai Xangô, tu que és defensor da justiça de Deus e dos homens, dos vivos e dos além da morte, tu, com tua machadinha de ouro, defende-me das injustiças, acobertando-me das mazelas, das dívidas, dos perseguidores mal-intencionados. Protege-me meu glorioso São Judas Tadeu, Pai Xangô na umbanda. Sempre justiceiro nos caminhos em que eu venha a passar com a força desta prece, sempre contigo estarei, livrando-me do desespero e da dor, dos inimigos e dos invejosos, dos indivíduos de mau-caráter e dos falsos amigos. Axé.



Conheça o Orixá Iansã





Significado: mesan; nove
Dia da semana: Quarta-feira (ou Segunda-feira)
Cores: vermelho (ativo e fogo) ou marrom (a terra)
Saudação: E Parrei! - Olá! jovial e alegre ou Que bela espada!
Elemento: ar (vento)
Domínio: ventos e tempestades
Instrumento: iruexim (cabo de ferro ou cobre com um rabo de cavalo)


Iansã é o orixá de um rio conhecido como Níger, cujo nome original em iorubá é Oyá (versão pouco difundida no Brasil).
É a primeira entidade feminina a surgir nas cerimônias. Deusa dos raios, relâmpagos, ventos e tempestades, Iansã sempre impressiona pelo seu temperamento ardente, impetuoso e justiceiro, característicos de seu comportamento.
É muito conhecida no Brasil, onde existem muitos eleguns (eleitos, preferidos do orixá). Foi a primeira esposa de Xangô; atraída por seu tipo elegante e fino, abandonou o rústico Ogum, com o qual era casada.
É o único orixá que não teme os mortos (ou eguns) dominando-os com o iruexim (instrumento feito com rabo de cavalo).
É a senhora absoluta do culto ao egungum (ancestral divinizados, mortos de família). Divide com Xangô o poder da justiça. As lendas nigerianas relatam que seu cotidiano não era nada monótono, enfrentando inclusive, guerras para obter o domínio da tribo. É um orixá que nada teme.
Quando se manifesta em um de seus iniciados, ela está adornada com uma coroa, cujas franjas escondem seu rosto. 
Traz consigo uma espada, o iruexim e chifres de búfalo enfeitando as roupas (uma alusão sobre a qual Iansã teria o poder de se transformar em um animal, proeza descoberta por Ogum).
Durante a cerimônia, ela evoca as tempestades e os ventos através de seus movimentos de dança, abrindo os braços estendidos para a frente com gestos rápidos.


Oração para Iansã - Proteção

Ó gloriosa Mãe guerreira, dona das tempestades,
Protegei-me eu e minha família contra os maus espíritos,
Para que eles não tenham forças de atrapalhar minha caminhada,
E que não se apossem da minha luz.
Ajudai-me para que as pessoas más intencionadas
Não destruam minha paz de espírito.
Mãe Iansã, cubra-me com seu manto sagrado,
E leve com a força dos seus ventos tudo que não presta para bem longe.
Ajudai-me na união da minha família, para que a inveja
Não destrua o amor que há em nossos corações.
Mãe Iansã, em vós eu creio , espero e confio!
Que Assim seja e Assim será ! Amém.


Conheça o Orixá Exu




Significado: esfera
Dia da semana: Segunda-feira
Cores: vermelho (ativo) e preto (absorção de conhecimento)
Saudação: Laroiê; Salve Exu
Número: 1
Elemento: fogo
Domínio: encruzilhada
Instrumento: sete ferros presos numa mesma base, voltados para cima


Com sua natureza andrógina, Exu é o primeiro a ser citado servindo como numa espécie de função diplomática (recadeiro ou mensageiro) entre todos os Orixás e os seres humanos. De acordo com a mitologia africana, é o princípio dinâmico que possibilita a existência, sendo responsável pelo destino da cada um; ou seja, cada pessoa antes de nascer escolhe seu destino, determinando as características individuais de sua personalidade. Exu é o regulador do cosmos, o deus da ordem. É o "recadeiro" das divindades para fins úteis, passando a ser brincalhão quando pede-se sua ajuda para uma questão fútil. 

Tem forte ligação com o fogo, simbolizando seu lado ativo, de crescimento. Exu não é "o escravo do Orixá" nem pode ser sincretizado com o diabo, como muitos brasileiros crêem, baseados na tradição católica. Seu símbolo são os sete ferros voltados para cima representando os sete caminhos do homem. É o mais humano dos Orixás, sendo uma divindade de fácil relacionamento.
Não é dele a responsabilidade de decidir o que é certo ou errado; apenas realiza a tarefa para a qual foi invocado. Tem o mesmo papel do deus Mercúrio, o mensageiro dos deuses do Olimpo encarregado de todos os seus negócios, até mesmo os desonestos na mitologia grega. Sua função de contato entre o babalaô e os demais Orixás faz com que supere o real e atinja o supra-real, o mágico. São os Orixás que respondem no jogo de búzios, mas é Exu que traduz as respostas. Ele poderia ser considerado como um "anjo rebelde", lendário e heróico.


Oração á Exu - Proteção

“Orixá Exú, vós que sois o Orixá Regente do Vazio, o Orixá Vitalizador, O Orixá Esgotador dos excessos humanos e de suas ilusões vãs, auxilie-nos.
Pedimos ao Senhor e ao Pai Criador Olorum, guiem-nos para que vazio não nos tornemos.
Não nos permitam perder-nos na dualidade dos momentos da vida.
Orixá Exu, não deixe que perturbações espirituais e materiais minem nossa força de vontade e livre arbítrio, nem nossa vontade de viver .
Orixá Exú, Senhor da Dualidade que vemos na matéria, oriente-nos para que não sejamos seduzidos por caminhos que nos levam a paralisação evolutiva e consciêncial das trevas da ignorância em que mergulhamos quando vazios de Deus nos tornamos.
Livra-nos de tudo aquilo que nos afasta de Nosso Criador , e afaste de nós o Mal.
E se merecedores formos, que tenhamos paz e prosperidade, para conduzirmos nosso fardo nessa encarnação de maneira mais amena, com ausência de nossos abismos e negativismos, sobre Tua Guarda e Proteção.
Amém.”

Comentários