Gatoterapia: a cura através dos gatos



Esses fascinantes animais, já eram adorados como Deuses pelos antigos Egípcios, e atualmente o convívio entre homens e gatos se torna cada vez mais harmonioso quando há a reciprocidade, ou seja, um em benefício do outro. Esse é o objetivo da Gatoterapia, a incrível arte de se curar com a ajuda dos bichanos.
Introduzida no Brasil entre o final da década de 1940 e início da década de 1950 no tratamento de pacientes com esquizofrenia, a Zooterapia, ou terapia assistida por animais, teve como seu primeiro colaborador o gato, que é um animal que transmite tranqüilidade e equilíbrio no relacionamento com humanos.
Esse tipo de terapia está sendo muito utilizada nos dias de hoje, pois vivemos em uma sociedade moderna em que a correria do dia-a-dia está formando cada vez mais cidadãos estressados e hipertensos. Pensando nisso, estudos realizados no campo da cardiologia mostram que as pessoas que interagem constantemente com animais tendem a apresentar menores níveis de estresse e pressão arterial, além de desenvolverem menos problemas cardíacos. No caso dos gatos, os benefícios ultrapassam a barreira física, pois a Gatoterapia é também uma ferramenta importantíssima na cura de problemas mentais e emocionais.
Algumas crenças antigas diziam que os gatos eram animais místicos, capazes de transmutar as energias negativas do ambiente enquanto dormiam, portanto se dormiam muito, havia muita energia ruim no ambiente, e se não conseguiam filtrar toda essa energia, o gato acabava acumulando isso em forma de gordura. Porém, isso tudo já foi constatado como mera fantasia, já que hoje em dia sabemos que é da natureza dos felinos dormir muitas horas por dia e ter certo acumulo de gordura.
Mas nem tudo é mentira, já que para alguns especialistas, o gato é por essência um ser que tem este “poder” de transmitir paz e relaxamento, retirando as energias negativas do ambiente e trazendo felicidade para o ser humano, como muitos dizem é uma “higiene mental”.
Portanto, além da companhia, os gatos agora têm um papel a mais que age em benefício do ser humano: o ensinamento para uma vida livre de interesses, com fidelidade, companheirismo e autocontrole, respeitando os limites do próximo, mas ao mesmo tempo impondo seus limites.

Comentários